Prefeitura de Catarina

Seja bem-vindo (a). Hoje é

Mais um crime com características de pistolagem em Catarina; desta vez a vitima foi o funcionário público Ciel Cosmo.


Por volta das 17h desta terça-feira (6), foi vitima de uma suposta pistolagem o funcionário público Ciel Cosmo, 43 anos, casado, pai de quatro filhos, o mesmo residia na Rua Cosmo Siqueira, as margens da Avenida Capitão Epaminondas em Catarina.

Ciel foi assassinado a tiros de pistola na Rua Joaquim Rodrigues, por trás do Banco do Brasil a 50 metros da Unidade Policial, no Bairro Três Poderes.

Segundo informações da Polícia Militar de Catarina, dois homens sem capacete, chegaram bem próximo ao carro da vitima e efetuaram vários disparos e em seguida empreenderam fuga pela CE 371 em direção ao município de Acopiara. Ciel ainda chegou a ser socorrido para o hospital local mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito.

Foto - Polícia Militar de Catarina

A Polícia Militar de Catarina sob comando do sargento Vidal em companhia do sargento César e do soldado Lima, saíram e perseguição aos dois homens quando o garupa da moto efetuou disparos contra a viatura e ouve o revide quando o garupeiro, Helio Duarte da Silva, conhecido como Frank Aguiar,  foi atingido e caiu da moto e o condutor da motocicleta também teria sido baleado mais empreendeu fuga no matagal.

O acusado foi conduzido pela Polícia Militar de Catarina para o hospital de Tauá e em seguida encaminhado para a 14ª Delegacia de Polícia Civil lá mesmo em Tauá para os devidos procedimentos.

Ciel Cosmo era funcionário da Prefeitura de Catarina  e neto do senhor Sebasto Cosmo assassinado em abril do ano passado na Rua Cosmo Siqueira, em Catarina,  e tio do Mauro Cosmo, assassinado em abril deste ano durante uma partida de futebol na localidade de Baixa Grande, zona rural de Catarina.

Sentimentos aos familiares.

Do dia 23 de abril deste ano até ontem, terça-feira (6), foram registrados quatro homicídios e uma tentativa de homicídio em Catarina. Um acusado foi preso até o momento.

A primeira vitima foi o agricultor  Renato do Gilvan, 32 anos, residente na localidade de Arara, zona rural de Catarina. Renato foi executado à bala na noite do dia 23 de abril, por volta das 22h30, na Rua Cosmo Siqueira. Após a execução, os dois homens fugiram em direção a rodovia CE 371. Autoria do crime até agora desconhecida.

No dia 29 de abril,  o jogador de futebol, Mauro Cosmo, 33 anos, residente na Rua Cosmo Siqueira, centro de Catarina, foi executado à bala durante uma partida de futebol no campo da localidade de Baixa Grande, zona rural do município de Catarina, por volta das 15h30, por dois homens que após a execução se evadiram sentido a rodovia CE 371 em direção a Acopiara. Autoria do crime até agora desconhecida.

No dia 24 de maio, as 11h da manhã, o jovem Rafael da Silva Furtado, 27 anos, auxiliar de oficina de estofados,  sofreu uma tentativa de homicídio entre as ruas Panta Leão Domingues (antiga Rua Dona Ana Cleta)  e  Elizeu Pedrosa (antiga Rua Acopiara). Dois homens em uma moto Bros, cor branca, placa não anotada,   avistaram o Rafael e efetuaram vários disparos de revólver calibre 38. Rafael conseguiu correr e saiu em leso. Autoria do crime até agora desconhecida.

Terça-feira (30), por volta das 07h30 da manhã, foi vitima de homicídio à bala, o ajudante de pipeiro, Igor Alves Teixeira, 21, anos, residente na Rua Vereador José Rodrigues Irmão (antiga Rua Acopiara). Igor foi executado à bala, na localidade de Sítio São Felix, zona rural do município de Catarina, quando abastecia o caminhão pipa em que o mesmo trabalhava como ajudante.

O motorista do carro pipa, que não teve o nome divulgado pelas policias Militar de Catarina e Civil de Tauá, disse que no momento em que o Igor foi executado, o mesmo estava no meio do mato fazendo necessidades fisiológicas e, não soube contar como tudo aconteceu, apenas disse que ao ouvir os estampidos retornou para o carro pipa e encontrou o seu colega de trabalho já sem vida. Segundo informações da Polícia Civil de Tauá, Igor Alves Teixeira, foi executado por pelo menos quatro disparos de arma de fogo. Sendo dois tiros na cabeça e os outros dois no tórax. Autoria do crime até agora desconhecida.

O delegado da 14ª Delegacia Regional de Polícia Civil, em Tauá, Dr. Gisleian Alves disse que os inquéritos dos casos acima citados já foram instaurados e estão sendo investigados.



Reportagem – Diomar Araújo / Blog do Diomar Araujo