Prefeitura de Catarina

quinta-feira, 29 de junho de 2017

COMBATE AO AEDES; Governo divulga critérios para liberar verba

Foto -  Foto: Cid Barbosa
Após o anuncio que a batalha contra a proliferação do Aedes aegypti nos municípios do Ceará ganhará um investimento de R$ 10 milhões em 2018, o Governo do Estado divulgou, ontem, os seis critérios do termo de compromisso que servirá como parâmetro para os municípios receberem o incentivo. Entre os critérios estão a instituição do comitê municipal de combate ao mosquito, cobertura mínima da visita domiciliar de 80% dos imóveis, apresentação até dezembro deste ano do Plano Municipal de Ação de Vigilância e Controle das Arboviroses para 2018, além da realização do Levantamento Rápido de Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa).
No Ceará, 88,0% dos municípios (162/184) atualmente enquadram-se nos critérios para realização do LIRAa. No primeiro levantamento do ano de 2016, feito em abril, 50,6% (82/162) dos municípios realizaram o LIRAa. Destes, 31,7% (26/82) apresentaram alta infestação pelo Aedes aegypti, 40,2% (33/82) encontravam-se em situação de média infestação e 28,0% (23/82) apresentaram índice satisfatório. Um novo levantamento será concluído nesta sexta-feira (30). Após este, a próxima análise será realizada de julho a dezembro de 2017, já como critério de classificação do incentivo do Governo Estadual.

De acordo com Roberta de Paula Oliveira, supervisora do núcleo de controle de vetores da Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa), o termo de compromisso deverá ser seguido à risca pelos municípios, caso contrário, não serão contemplados pela verba. "Foi uma das soluções encontradas por nós para monitorar os indicadores e estimular políticas contra o Aedes. Os municípios tem uma preocupação maior no primeiro semestre, e acabam diminuindo esforço durante o segundo semestre do ano, com a diminuição dos índices".
As arboviroses são as doenças causadas pelos arbovírus, que incluem os vírus da dengue, chikungunya, zika e febre amarela. O Plano Estadual de Vigilância e Controle das Arboviroses, lançado em novembro de 2016, define responsabilidades dos níveis estadual, regional e municipal quanto às ações de vigilância epidemiológica, vigilância laboratorial e controle vetorial em períodos não epidêmicos e epidêmicos dessas doenças.
Mortes
O plano está disponível para consulta no site da Secretaria da Saúde do Ceará, para nortear as Coordenadorias Regionais de Saúde (CRES) e auxiliar os municípios na resposta à ocorrência das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. Neste ano, 41 pessoas morreram no Ceará em decorrência de dengue e chikungunya, conforme o último Boletim Epidemiológico da Secretaria da Saúde do Estado.
Compromissos
1 - Ter um Comitê Municipal Intersetorial de Combate ao Aedes instituído e atuante
2- Monitorar os indicadores de qualidade da vigilância das arboviroses: investigação adequada e notificação oportuna em, no mínimo, 80% dos casos notificados
3 - Atingir cobertura mínima de 80% dos imóveis do município de julho a dezembro de 2017
4 - Melhorar ou manter a classificação dos índices de infestação predial
5 - Cumprir, no mínimo, um levantamento Rápido de Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa/LIA) no período de julho a dezembro de 2017
6- Apresentar o Plano Municipal de Ação de Vigilância e Controle das Arboviroses para o ano de 2018