Prefeitura de Catarina

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Diário do Nordeste entrevista a secretária de Saúde de Catarina, Valéria Rodrigues e o diretor do hospital de Catarina, Jardel Mendonça.

Valéria Rodrigues, secretária de Saúde de Catarina
Foto - Diomar Araújo / Blog do Diomar Araujo
Catarina, no Centro-Sul do Ceará, enfrentou um surto epidêmico de chikungunya, além de registros de dengue nos meses de fevereiro, março e abril. A maioria dos moradores foi acometida pelas doenças e, naquele período, a Unidade Mista de Saúde Gentil Domingues chegou a atender por dia 300 pessoas com sintomas de arboviroses.
Conforme a Secretaria da Saúde do Município, nos quatro primeiros meses deste ano foram confirmados 346 casos de chikungunya e 37 de dengue. De nove casos suspeitos de zika vírus em gestante, cinco foram descartados e quatro aguardam resultado dos exames de sorologia. Muitas vezes, os números oficiais estão aquém da realidade, por subnotificação.
O diretor da unidade de Saúde, Jardel Mendonça, disse que, agora em maio, o Município está voltando à normalidade. "O atendimento diário, em média, caiu para 70 pessoas, que se queixam dos sintomas de dengue e chikungunya", frisou. "Quase toda a população ficou doente".
Jardel Mendonça, diretor do hospital  de Catarina
Foto - Diomar Araújo / Blog do Diomar Araujo
A secretária de Saúde de Catarina, Valéria Rodrigues, confirma que houve uma redução drástica e que o surto das doenças está associado à necessidade da população de armazenar água distribuída por carro-pipa. O açude São Gonçalo secou e a cidade enfrenta crise grave de desabastecimento. "O município adotou um conjunto de ações: telou caixas, distribuiu telas, fez mutirões, campanhas educativas e nós ainda estamos em campo", frisou Valéria Rodrigues.